12347942_1038027759582623_1292313801147608120_n

Em cartaz | “A Importância de Ser…”, coletiva no MAM-Rio

(Rio de Janeiro, RJ)

O Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro recebe até 14 de fevereiro a coletiva “A Importância de Ser”, com curadoria de Sara Alonso Gómez e coordenação de Bruno Devos.

unnamed-10

Embora não pretenda dar conta da totalidade do cenário atual da arte na Bélgica, a exposição “A Importância de Ser…” logra êxito em traçar um vasto panorama da arte contemporânea do país, incluindo 40 artistas de renome internacional. Discursos plurais e abordagens transversais, por meio de suportes artísticos diversos, constroem um retrato que torna possível enlevar problemáticas cruciais da atualidade, refletindo sobre as conexões possíveis com outras latitudes, pelo mapeamento de similaridades e diferenças. O objetivo extrapola a noção de nacionalidade belga. A arte do país é aqui submetida a interpretações, hipóteses, descrições e conotações, que, apesar de situadas entre o mito e a realidade, também delineiam uma identidade por si própria fugidia. A exposição é, outrossim, o ponto de partida de um laboratório/plataforma com aportes culturais e geopolíticos tanto locais quanto globais, partindo da Europa como centro de decisão, e ramificando-se pelo restante do mundo. Nesse sentido, são retratados pela exposição temas como poder e memória, o binômio identidade-autoridade, conflitos e fronteiras, e as relações humanas com o universo técnico e natural, no contexto da globalização.

Apropriando-se deliberadamente da epônima peça de Oscar Wilde, a exposição “A Importância de Ser…” propõe uma explanação de natureza aberta, que pretende, com as diferentes tendências conceituais abordadas, aduzir a questão filosófica do Ser em sua própria equação e definição, em meio a, ou no espaço-tempo da contemporaneidade. Do ponto de vista ontológico, a definição deste ser ou entidade açambarca a realidade par excellence, em seu sentido mais amplo, além de perfazer um contraponto com sua relação de negação.

“A Importância de Ser”
Curadoria de Sara Alonso Gómez
Abertura: 16 de dezembro, das 15h às 19h
Em cartaz até 14 de fevereiro

Museu de Arte Moderna Rio de Janeiro
Av Infante Dom Henrique 85, Parque do Flamengo 20021-140 Rio de Janeiro, RJ – Brasil.
T +55 (21) 3883 5600
www.mamrio.org.br facebook/museudeartemodernarj
twitter/mam_rio

Horários
ter – sex 12h – 18h | sáb, dom e feriados 12h – 19h
A bilheteria fecha 30 min antes do término do horário de visitação.

Ingressos
Exposições R$14,00 (inclui uma sessão gratuita na cinemateca válida no dia da emissão do ingresso).
Maiores de 60 anos e estudantes maiores de 12 anos R$7,00. Domingos ingresso família até 5 pessoas R$14,00.
Cinemateca R$8,00
Maiores de 60 anos e estudantes maiores de 12 anos R$4,00. GRATUIDADES Amigos do MAM, crianças até 12 anos e funcionários das empresas mantenedoras e parceiras (mediante apresentação de crachá, com direito a um acompanhante) e quartas após às 15h.

Como chegar Referência: O Museu de Arte Moderna está localizado entre o Monumento aos Pracinhas e o Aeroporto Santos Dumont

Ônibus (linhas e pontos)
Da Zona Sul >> Via Parque do Flamengo: 472 (Leme), 438(Leblon),154 (Ipanema), 401 (Flamengo), 422 (Cosme Velho). Ponto na Avenida Beira Mar em frente à passarela.
Via Aterro: 121, 125 e 127 (Copacabana). Ponto na Avenida Presidente Antônio Carlos em frente ao Consulado da França.
Da Zona Norte >> 422 (Tijuca), 472 (São Cristóvão), 438 (Vila Isabel),401 (Rio Comprido). Ponto na Avenida Presidente Wilson, em frente à Academia Brasileira de Letras.
Da Zona Oeste >> Frescão Taquara-Castelo (via Zona Sul). Ponto mais próximo localiza-se na Avenida Presidente Wilson, em frente à Academia Brasileira de Letras.
Metrô: Estação Cinelândia

Acesso a deficientes Cadeiras de rodas, rampas de acesso até os salões de exposição, elevadores e sanitários especiais.

Estacionamento Pago no local 7h – 22h

Para mais informações acesse http://mamrio.org.br.



Copyright © Instituto Investidor Profissional