Júri de Premiação 2015

Anualmente o Conselho do PIPA convida de cinco a sete especialistas em arte contemporânea para compor o Júri de Premiação. São eles os responsáveis por definir o vencedor do PIPA (principal categoria do Prêmio) dentre os quatro finalistas da edição vigente.

O Júri de 2015 foi o órgão responsável por escolher um artista dentre os quatro finalistas – Cristiano Lenhardt, Leticia Ramos, Marina Rheingantz e Virginia de Medeiros – para receber o prêmio de R$130 mil, que incluia a participação no programa de residência artística da Residency Unlimited, de Nova York.

O prêmio em dinheiro e a residência artística não podem ser desmembrados, ou seja: apenas um artista dentre os finalistas recebe os R$130 mil, estando incluído neste valor a participação por três meses em 2016, no programa da RU.

Júri de Premiação do PIPA 2015

Cauê Alves: Mestre e doutor em filosofia pela FFLCH-USP, professor da PUC-SP. Curador assistente do Pavilhão Brasileiro na 56ª Bienal de Veneza, curador adjunto da 8ª Bienal do Mercosul e um dos curadores do 32º Panorama da Arte Brasileira do Museu de Arte Moderna de São Paulo. Desde 2006 é curador do Clube de Gravura do MAM-SP. Realizou, entre outras curadorias, a mostra “Quase líquido”, Itaú Cultural (2008) e “Mira Schendel: Avesso do avesso” (2010), no Instituto de Arte Contemporânea. Membro do Comitê de Indicação do PIPA 2011, concedeu uma entrevista exclusiva para o Prêmio naquele ano, que pode ser assistida aqui.

Gilberto Chateaubriand: Colecionador, diplomata e empresário brasileiro. Possui uma das maiores e mais importantes coleções privadas de arte moderna e contemporânea brasileira. Cedida em comodato para o MAM-Rio a partir de 1993, a coleção tornou-se acessível permanentemente ao público e vem sendo mostrada com regularidade também em outras instituições do Brasil e do exterior. Sobre a coleção, o crítico Roberto Pontual declara: “(…) por intermédio dela, a arte brasileira do século XX, do modernismo à contemporaneidade, tem a sua mais completa e melhor ilustração.”

Luiz Camillo Osorio: Crítico de arte, professor de Estética no departamento de Filosofia da PUC-Rio, curador do MAM-Rio desde 2009, idealizador e conselheiro do PIPA desde a sua criação, em 2010. Graduou-se em Economia (1985) pela PUC-Rio, realizando entre 1986 e 1987 um Diploma em História da Arte Moderna no Modern Art Studies de Londres e, posteriormente, o mestrado e o doutorado em Filosofia na PUC Rio. Curador de diversas exposições importantes no Brasil e ao redor do mundo, inclusive do pavilhão brasileiro da 56ª Bienal de Veneza.

Pablo Leon de la Barra: Curador, arquiteto e pesquisador independente especialista em arte latino-americana nascido no México. Foi diretor da galeria Blow de La Barra, em Londres e é diretor da Casa França-Brasil desde o início do ano. Anteriormente esteve à frente da etapa do mapeamento de artistas latino-americanos para o projeto Guggenheim UBS MAP Global Art Initiative do Guggenheim Museum, em Nova York. Realizou curadorias para Guggenheim, ArtRio, Museu Carmen Miranda e instituições de Buenos Aires, Zurique, Genebra, San Juan e Madri.

Rosangela Rennó: Artista formada em arquitetura pela Escola de Arquitetura da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte (1986) e em Artes Plásticas pela Escola Guignard, Belo Horizonte (1987). Doutora em artes pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (1997). Recebeu diversos prêmios ao longo de sua carreira, sendo os mais recentes o CIFO Grants & Commissions Program em 2014, Paris Photo-Aperture Foundation PhotoBook of the Year Award e Prix du Livre Historique 2013/Historical Book Award 2013 – Les Rencontres ARLES Photographie, pelo livro “A01 [COD. 19.1.1.43] – A27 [S|COD.23]” em 2013.
 
Critérios

A definição do vencedor aconteceu durante reunião do Júri de Premiação no MAM-Rio. Além de visitar a exposição dos finalistas, os jurados tiveram a oportunidade de analisar os portifólios e demais materiais enviados pelos artistas, dentre os quais uma carta na qual cada finalista destacava a importância da participação no programa de residência, que faz parte do prêmio, para sua carreira.

Desta forma a decisão do Júri se baseou no portfólio, na carreia, nas obras apresentadas na exposição do PIPA no MAM-Rio, e na importância do prêmio a ser recebido para a trajetória de cada artista. A ponderação desses fatores fica a exclusivo critério dos jurados, podendo inclusive variar a cada ano.
 
Vencedor

Para saber quem foi o grande vencedor do PIPA 2015, clique aqui.


Copyright © Instituto Investidor Profissional