Tagged Marcius Galan

Marcius Galan apresenta série de objetos que transitam entre o desenho, arquitetura e pintura

(Rio de Janeiro, RJ) “Martelinho de ouro” é o nome que se dá ao serviço especializado que repara pequenos riscos nas pinturas dos automóveis. O termo também batiza a nova individual de Marcius Galan, vencedor do Prêmio PIPA 2013, na Galeria Silvia Cintra + Box 4. Com abertura marcada para a semana que vem, a exposição simula o incômodo gerado pelos arranhões nos carros em uma série de telas, formando híbridos entre pintura, desenho e escultura.

0

Com programação variada, Semana de Arte traz música, dança e teatro

(São Paulo, SP) A feira da Semana de Arte começa esta quinta, 17 de agosto, e reúne cerca de 35 galerias brasileiras e estrangeiras que ocupam por três dias o subsolo do Hotel Unique. Comandada pelos representantes de duas das principais galerias de São Paulo, Luisa Strina (Galeria Luisa Strina) e Thiago Gomide (Bergamin & Gomide), a Semana de Arte traz ainda uma série de atrações culturais que começam hoje, como espetáculos de dança e teatro e um ciclo de palestras e debates sobre a globalização da arte.






A prática do desenho pelo olhar de 21 artistas de diferentes gerações em “In Memorian”

(Rio de Janeiro, RJ) Abrindo neste fim de semana na Caixa Cultural RJ, “In Memoriam” trata das possibilidades de se pensar a prática do desenho em suportes diversos a partir do trabalho de 21 artistas. Entre os nomes, que vão de grandes dos anos 1960 até artistas contemporâneos, há quatro que participaram do Prêmio PIPA: Cinthia Marcelle, finalista em 2010; Ricardo Basbaum, indicado em 2011; e Marcius Galan e Cadu, que venceram o Prêmio, respectivamente, em 2012 e 2013.






0

Últimos dias de “A vastidão dos mapas”

(Curitiba, PR) “A vastidão dos mapas – Arte contemporânea em diálogo com mapas da Coleção Santander Brasil”, exposição no Museu Oscar Niemeyer (MON), se encerra neste domingo, 06 de julho. Sob a curadoria de Agnaldo Farias, a mostra reúne um conjunto de mapas originais dos séculos XVI ao XVIII do núcleo de cartografia da Coleção Santander Brasil em diálogo com obras de artistas contemporâneos.






0

“A Pureza é um mito” reúne trabalhos de 43 artistas

(São paulo, SP) Em 1967, Helio Oiticica expunha “Tropicália” na mostra “Nova Objetividade Brasileira”. Composta, entre outros elementos, por uma série de cabines, uma delas – a Penetrável PN2 – guardava uma frase icônica no seu interior: a pureza é um mito. A expressão dá nome a coletiva “A Pureza é um Mito: o monocromático na arte contemporânea”, em cartaz na Galeria Nara Roesler desde a semana passada, que faz parte da 27ªa edição do projeto Roesler Hotel, criado para promover o diálogo entre as comunidades artísticas nacional e internacional.






0

Cartografia e arte contemporânea lado a lado em “A vastidão dos mapas”

(Curitiba, PR) De um lado, um conjunto de mapas originais dos séculos XVI, XVII e XVIII. De outro, obras de artistas contemporâneos. A fórmula foi idealizada por “A vastidão dos mapas”, exposição que ocupa o Museu Oscar Niemeyer desde o final de maio. Exibindo 15 mapas do núcleo de cartografia da Coleção Santander Brasil em conjunto com obras de 33 artistas contemporâneos – entre eles, o vencedor do Prêmio PIPA 2012 Marcius Galan e o indicado Rodrigo Torres –, a mostra pretende questionar os espaços, as fronteiras, os fluxos territoriais e deslocamentos.






0

Marcius Galan inaugura instalação no MASP, “Ponto em escala real”

(São Paulo, SP) Passaram-se mais de dois meses desde a inauguração de “Avenida Paulista”, no Museu de Arte de São Paulo (MASP), até que a obra de Marcius Galan, comissionada especialmente para a exposição, fosse finalmente fosse instalada. Um círculo preto de tecido medindo 50m de diâmetro e ocupando quase todo o Vão Livre, “Ponto em escala real” é uma representação literal de um ponto em um mapa de escala 1:1.






0

Última semana | “Projeto em Preto e Branco”

(Rio de Janeiro, RJ) Esta é a última semana para conferir “Projeto em Preto e Branco”, reedição da exposição de mesmo nome realizada há quinze anos atrás. Com curadoria de Silvia Cintra, da Silvia Cintra + Box 4, a mostra mantém o tema original – obras em preto, branco, ou preto e branco –, mas muda os participantes, apresentando obras de 15 artistas.






0

Mostra histórica sobre preto e branco ganha nova edição

(Rio de Janeiro, RJ) Há quinze anos atrás, em 2002, Lygia Pape participava de sua última exposição em vida. A mostra em questão, “Projeto em Preto e Branco”, ganha uma nova edição a partir deste sábado, 18 de março, na Silvia Cinta + Box 4. O tema continua o mesmo: obras em preto, branco, ou preto e branco. Os participantes, no entanto, são outros, constituindo uma lista de quinze artistas dos quais cinco já foram indicados ao Prêmio PIPA, incluindo o vencedor de 2012 Marcius Galan.






0

Novos e antigos olhares sobre a Avenida Paulista em exposição do MASP

(São Paulo, SP) Não só de cartões-postais vive a Avenida Paulista. Símbolo de São Paulo, o endereço carrega consigo as contradições e tensões da própria cidade. Foi pensando nisso que o MASP decidiu organizar “Avenida Paulista”, coletiva que apresenta antigos e novos olhares sobre a avenida centenária. Os antigos correspondem a documentos dos mais diversos, entre fotografias, objetos, cartazes e outros, produzidos de 1891 a 2016; já os novos aparecem através do olhar de 17 artistas contemporâneos – nove deles já indicados ao PIPA –, em projetos comissionados especialmente para a exposição.






O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA